Resenha do Livro “Jornalismo Online: O Futuro da Informação”

Fabiana Pardini Blanco

José Fernando Simone é publicitário e iniciou suas atividades em internet no momento em que ela começava no Brasil, em 1995. Coordenou projetos de grandes companhias e presta consultoria para empresas que buscam presença e resultados na Web. É diretor executivo do portal WebMeio, o primeiro de distribuição de conteúdo da internet brasileira. Já Mariana Monteiro é jornalista e iniciou sua experiência na Web em 1998. Foi redatora e editora de sites na Web e hoje dedica-se a projetos de comunicação customizada e à cobertura de noticias na área de saúde. É editora do portal WebMeio e seu projeto de conclusão de curso de Jornalismo foi “A Comunicação da Era da Sociedade da Informação e o Jornalismo Online”.

O livro Jornalismo Online contém uma apresentação, introdução, dez capítulos, informações sobre os autores e bibliografia. Tem uma linguagem simples e acessível, podendo ser lida por qualquer pessoa, além de tornar-se uma leitura leve e possibilitando pausas quando necessário.

Inicia-se com uma apresentação feita pela jornalista da Globo.com, Cristina de Luca, que diz que a melhor forma de examinar a respeito é partindo de depoimentos de quem vive a questão, como fazem os autores no livro. Nesse novo meio, experimentam-se velhas e novas fórmulas para o repasse de informações e a diversidade de opiniões e de pensamento se tornam uma das características mais marcantes. Objetividade, clareza, precisão, concisão, veracidade, estilo e imparcialidade tornam o exercício jornalístico mais intenso, desafiante e provocador.

Do primeiro capítulo ao quarto, os autores dizem que a edição do conteúdo online não se esgota, estando disponível a qualquer hora e de qualquer lugar do mundo. Afirmam que não existe um manual de estilo para a Web, mas de modo geral, esperam-se: textos curtos (para caber em uma só tela do computador e porque muita gente não tem paciência de ler textos longos na tela de um computador), frases e parágrafos curtos (para dar velocidade à leitura), textos encadeados por links (para permitir diversos níveis de informações). O leitor de Internet procura dinamismo, clareza, facilidade para encontrar a informação, agilidade e atualidade. São três mandamentos do webwriting: objetividade, navegabilidade e visibilidade.

Outra questão observada é a informação em alta velocidade, citando como exemplo o ataque terrorista aos Estados Unidos. Porque a cobertura jornalística feita pelos principais “players” do jornalismo mundial foi completa e esbanjou recursos tecnológicos, houve vários canais de comunicação online, como a CNN americana, congestionados e alguns chegaram a sair do ar em função do aumento de internautas que acompanhavam em tempo real os acontecimentos.

O livro trata de diversos pontos do jornalismo online, como: forma, qualidade, características, as faces da Web, checagem dos dados, o aumento de releases colocando em perigo a credibilidade, o conteúdo jornalístico pobre, metainformação, falta de coragem para arriscar um novo formato, convergência das mídias e o futuro do jornalismo online, com questionamentos de como será a tendência deste mercado, como será daqui a alguns anos e qual a sua visão do futuro.

Além de procurar estabelecer o que o internauta busca na grande rede digital, mostrando como é o cotidiano de uma redação online e dando como exemplos as redações do JB Online, Universo Online (UOL), Americana Online (AOL), Terra e da Globonews.com.

Já o quinto capítulo é dedicado à arquitetura da informação, que é dito como o ponto de partida, pois o termo é abrangente e essencial para quem desenvolve site ou para quem é responsável por disponibilizar conteúdos na Web. Define-se Arquitetura de Informação como a elaboração de um sistema de navegação fácil e funcional, que permite ao usuário trafegar pelo site com facilidade sem se perder nos hiperlinks ou nos níveis de informação disponíveis. Neste capítulo, os autores orientam a criação dessa estrutura sólida e consciente das informações com os conceitos essenciais: hierarquia da informação, navegabilidade, adequação tecnológica e gerenciamento.

No sexto capítulo, fala-se sobre a “usabilidade” dos sites, ou seja, a facilidade de utilização. Há uma série de dicas recomendadas aos designers de sites da Web. Para compor um bom projeto de website, devemos buscar o equilíbrio entre simplicidade, originalidade e beleza.

No sétimo, há um breve resumo que aborda o tema em geral e dá os lados positivos e negativos. Por exemplo, afirma ser uma mídia que reúne recursos multimídia, interatividade e que possibilita a construção de comunidades com interesses em comum, jogando assim, com a qualidade, variedade de conteúdo, qualidade de material, interatividade e hipertextualidade. E em contrapartida, afirma que a excessiva quantidade de informação, quando mal estruturada, pode dar ao leitor a sensação de estar perdido e desmotiva-o para a leitura, além de aumentar os conteúdos “vazios”.

No capítulo oito, os autores mostram um glossário diferente: o glossário “nético”, com termos técnicos usuais na internet e também os mais comuns utilizados nas redações. Já no capítulo nove, há uma lista com os principais jornais brasileiros com a presença na Web, colocados em ordem alfabética pelos Estados do Brasil. No décimo capítulo, há uma lista com algumas revistas brasileiras que têm uma presença representativa na web. Para finalizar o livro, há informações sobre os autores e, em seguida, a bibliografia.

Em suma, o livro é uma análise da comunicação na era da informação em tempo real, do jornalismo online. Tem como objetivo confrontar e atualizar as diversas abordagens do assunto, extraindo diferentes conceitos e visões – para isso, disponibilizam depoimentos de profissionais que trabalham na área, aonde expõem suas opiniões sobre os diversos assuntos relacionados ao jornalismo online.

Portanto, o livro contém informações necessárias para aqueles que estão iniciando sua carreira nessa nova mídia ou, até mesmo, para aqueles que buscam aprimorar o conhecimento. É uma espécie de manual dessa mídia digital que é a internet – uma nova mídia que está sendo testada e que reúne características de todas as demais, oferecendo ainda mais interatividade do que em qualquer outro veículo de comunicação.

Dados do livro:
Titulo da Obra: Jornalismo Online – O Futuro da Informação
Autores: José Fernando Simone e Mariana Monteiro
Editora: Editora Ltda
Data: novembro de 2001
Número de páginas: 93 páginas

Voltar >

Anúncios

Deixe um comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s